1509725595914942

10 de dez de 2015

Cristãos: Não façam do Facebook um Monstro

Por Thiago Oliveira

"Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem".

1 Pedro 1:15

Sou um entusiasta das redes sociais e acho que elas têm uma função importante. Mas também vejo o lado ruim delas. Não só vi este lado como também já vivi. Por isso, ao escrever essa breve reflexão, não faço como alguém que superou os problemas da rede e escreve com um "quê" de eu faço o correto enquanto as demais pessoas pisam na bola. Escrevo também para tentar superar os exageros que vivenciei e que deixei de vivenciar logo que me percebi usando o Facebook de uma maneira não muito sóbria. Como cristãos, nossa responsabilidade é grande em representar aquele que nos chamou para sermos santos. Santidade também precisa estar presente na websfera, por isso, vão aqui alguns pontos dignos para refletirmos juntos:

1- Não se desnude através das redes sociais, postando tudo o que você faz e o que você sente. Mesmo que funcione como um desabafo, ou como um diário aberto, nem todos estão aptos para dar bons conselhos ou ajudá-lo com algum problema. Por isso, ao invés de se abrir tanto assim numa rede social, procure pessoas de confiança e competência para desabafar e tentar solucionar o problema em questão. No entanto, nada substitui um bom aconselhamento olhos nos olhos, com pessoas que comungam da mesma fé. Que tal procurar o seu pastor?

2- Não pense que tudo que as outras pessoas postam é algo direcionado a você. Noto que tem muita mania de perseguição no Facebook. E caso pense que alguém lhe mandou uma indireta, use o “in box” para tentar esclarecer. Lembre-se que seus amigos têm muitos outros amigos e vivem situações com outras pessoas além de você. Por isso, se algo que ele postou parece que tem relação com algo que você disse ou fez, pode ter sido pura coincidência.

3- Evite usar sua timeline para mandar recadinhos (as famosas indiretas), elas podem atingir quem você não gostaria (as pessoas descritas no ponto 2, por exemplo). Um cristão resolve suas diferenças com um irmão através de diálogo. Em muitos casos, oração deve anteceder o momento de uma conversa que intente resolver algum embaraço.

4- Respeite a opinião alheia. Este tem sido um problema e tanto. Divergências são coisas da vida. Quando você posta algo e esta postagem é pública, outras pessoas do seu rol de amizades podem comentar discordando do teu ponto de vista. Isto não faz dessas pessoas suas inimigas. O que não se deve tolerar é uma linguagem agressiva e desrespeitosa, contendo xingamentos e palavras de baixo calão. Todavia, se a divergência foi educada e respeitosa, não há do que reclamar. E quando é uma questão envolvendo heresia, devo respeitar a opinião alheia? Bem, nesse caso, vociferar contra o suposto herege não vai resolver muita coisa, deixe-o falar, mas, se você tiver condições, refute-o com a Escritura.

5- Por último, cuidado com a tua redação. Lembre que aquilo que você comenta está limitado aos caracteres. As palavras não tem feição e nem entonação no Facebook. Uma frase dita cara a cara e que não geraria nenhum mal estar dita face à face, na grande rede pode ser mal interpretada. Tenhamos mais cuidado para não criarmos tantas confusões.

Pronto, estes são os pontos. Acredito que com moderação todos nós podemos melhorar a convivência na grande rede. Vou tentar melhorar mais e mais, pois, estou ciente que tenho alguns degraus pela frente. Peço desculpa aos que já ofendi via Facebook e juntos vamos tentar construir algo que edifique e acrescente, e não que rivalize e gere desentendimento. Devemos lembrar das palavras escritas pelo apóstolo Paulo: “quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus (1Co 10.31)”. Na parte que diz “qualquer outra coisa” podemos ser bem abrangentes e colocar tudo o que faz parte da nossa vida, seja ela real ou virtual.

Nenhum comentário: