1509725595914942

31 de mai de 2015

Irmão André: O Contrabandista de Deus

Por Morgana Mendonça dos Santos

Mt 10.32-33 - "Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus."

Dia da Igreja Perseguida, chamado por alguns do "DIP", criado em 1987, um dia onde existe uma vasta mobilização das igrejas brasileiras em prol dos cristãos perseguidos ao redor do mundo. Um dia onde as igrejas apresentam a situação das perseguições aos cristãos, intercedem por eles e tentam de alguma forma ajudá-los com cartas, Bíblias ou ofertas. O dia 31 de maio, é o dia da Igreja Perseguida, no ano de 2015. Muitas igrejas receberão missionários de toda a parte do globo e ouvirão a palavra de Deus experimentada em suas próprias vidas.

30 de mai de 2015

O Campus Universitário é Local de Perseguição e um árduo Campo Missionário

Por Thiago Azevedo

Pouco se fala daqueles cristãos que estão inseridos no universo acadêmico. Pouco é comentado sobre a perseguição sutil e ferrenha que estes sofrem na atualidade. Perseguição no campo intelectual, ético e moral. O estudante universitário na atualidade e, de um modo geral, possui um estereótipo muito distante dos princípios cristãos, assim o estudante universitário cristão será compelido a se moldar dentro de tais padrões, caso rejeite, será perseguido e/ou excluso. Recentemente um vocalista de uma banda de rock chamado Roberto Oliveira, universitário da Universidade Federal do Acre, mostrou como os cristãos devem ser recebidos no ambiente universitário. O jovem queimou um exemplar da Bíblia Sagrada em um dos shows de sua banda em pleno campus e em meio a uma multidão de estudantes. Esta atitude gerou repudia de muitos cristãos para com o jovem, inclusive de um líder religioso de uma instituição local chamado Mássimo Lombardi. Tal líder escreveu uma carta ao jovem e insano universitário. Após ler a carta do líder religioso o referido jovem também se pronuncia por meio de uma carta e reconhece que errou e que estava profundamente arrependido (cuidado para da próxima vez não queimar o alcorão, talvez não dê tempo de se arrepender).

29 de mai de 2015

Cristãos e Muçulmanos: Uma Longa História de Conflitos

Por Alderi S. Matos

Introdução

Estamos acostumados a ouvir notícias sobre o relacionamento hostil entre palestinos e judeus em Israel. Vez por outra, também tomamos conhecimento de violentos choques entre muçulmanos e adeptos do hinduísmo e de outras religiões na Índia e em outros países asiáticos. Todavia, mais antigo e mais pleno de conseqüências para o mundo tem sido o relacionamento tenso - por vezes abertamente belicoso - entre cristãos e muçulmanos há quase 1400 anos. Os atentados terroristas nos Estados Unidos e outros países, as ações militares norte-americanas no Afeganistão e posteriormente no Iraque, e as iradas manifestações de muçulmanos em muitos países constituem mais um capítulo dessa longa história de conflitos.

28 de mai de 2015

Os Desafios Missionais no Mundo Muçulmano

Por Thomas Magnum

Meu objetivo nesse texto não é fazer uma avaliação doutrinária do Islã. Temos muito material bom sobre isso no Brasil, seja na internet ou em publicações especializadas em missões e apologética voltada para o mundo árabe. O que pretendo trazer a baila aqui é uma reflexão do nosso compromisso com missões e em que nível está nossa preocupação com o mundo não alcançado. 

27 de mai de 2015

A difícil vida dos cristãos perseguidos na Coreia do Norte


Há 13 anos a Coreia do Norte lidera o ranking dos países que mais perseguem cristãos, segundo os dados da missão Portas Abertas. Nesse vídeo há dados e depoimentos de nossos irmãos na fé que tem sofrido com a brutalidade do governo norte-coreano, apenas pelo fato de confessarem a Jesus como Senhor de suas vidas. 

26 de mai de 2015

Amemos os que nos perseguem

Por Thiago Oliveira

Quando circulou - recentemente - o vídeo de um grupo de cristãos sendo degolado por integrantes do Estado Islâmico, um sentimento de raiva tomou todo cristão que assistiu aquela brutalidade. Chegamos a desejar a morte daqueles homens. Este sentimento é natural e legítimo. Os salmos imprecatórios legitimam esse pensamento. Todavia, o legítimo não quer dizer ideal. Após o furacão da ira passar, devemos refletir sobre a postura que Cristo requer de nós. E embora isso seja difícil de assimilar, embora lutemos contra nós mesmos, o que devemos fazer é amar aqueles que perseguem a Igreja do Senhor.

23 de mai de 2015

Prioridades de Pais Cristãos

Por Wallace Jaguaribe

Se lhe fosse concedido as melhores condições socioeconômicas possíveis, que escola você procuraria para seu filho? E, a quem procuraria para ser professor dele? Certamente a resposta seria: a melhor escola e o melhor ou os melhores professores. Se nós, falíveis seres humanos, agiríamos assim, quanto mais Deus - o Todo-poderoso, onisciente, sábio, justo e bom – faria em relação aos pais humanos do Seu Filho. Creio que a escolha foi feita com este mesmo critério: os melhores. Assim sendo, o Senhor viu esta qualidade no casal Maria e José. Pais modelos para um filho perfeito.

22 de mai de 2015

Agora é só vitória, a luta acabou e a prova foi embora (#SQN)

Por Thiago Azevedo

Em certa ocasião, ao adentrar em certo ambiente, ouvi uma dita canção evangélica cuja refrão dizia o seguinte: “agora é só vitória (repetida 4 vezes), a luta acabou, a prova foi embora, agora é só vitória”. A pergunta básica é a seguinte: qual personagem bíblico pode ter motivado tal canção? Na Bíblia não há uma só personagem que tenha vivido tamanha mentira. Adão e Eva tiveram nos primórdios que administrar um fratricídio entre seus filhos, não foi só vitória e ausência de lutas na vida do primeiro casal. E quem perde um filho nessas condições deve saber que a luta não acaba nem tão cedo, e olhe lá se acaba. O normal são os pais abençoarem os filhos, mas Noé sente a necessidade de amaldiçoar um filho, situação difícil não? Abraão já idoso com sua esposa Sara recebe uma promessa de ainda gerar um filho. Após a mesma se cumprir, o Senhor solicita a vida do único filho do casal. A luta acabou? Foi só vitória na vida do pai da fé? Na condução do povo hebreu pelo deserto, após atravessar o mar vermelho e festejarem tal feito, Moisés adentra em Mara – região que possuía as águas amargas –, motivo suficiente para que o povo voltasse a murmurar contra o Senhor. Nesta ocasião o povo hebreu estava com sede e fatigado por conta da fuga do Egito. Será que a luta acaba mesmo? Será que chega um estágio na vida terrena do cristão que é só vitória?

21 de mai de 2015

O Santo Temor ao Senhor

Por Thomas Magnum

Malaquias 3,13-4.6

Introdução

Nessa passagem das Escrituras aprenderemos algumas lições importantes sobre o temor a Deus e como seu povo deve honrá-lo não somente no culto público, mas, no íntimo, amando a Deus sobre todas as coisas.

I- O Perverso Afronta a Deus

As vossas palavras foram duras para mim, diz o Senhor; mas vós dizeis: Que temos falado contra ti? (3.13).

Essa é a sexta e última acusação de Malaquias, ele aponta quatro grupos de pessoas de dizer palavras duras ao Senhor:

19 de mai de 2015

Fábio de Melo não é Lutero e nem saiu da Igreja Católica

Por Thiago Oliveira

O Pe. Fábio de Melo, bastante conhecido por ter uma boa aparência e seguir uma carreira de cantor, tanto que alguns o chamaram de “padre galã” assim que sua popularidade foi alavancada, vem sendo alvo de notícias mentirosas. Tudo começou devido a um sermão em que o padre supostamente teria atacado a veneração mariana (veja). Todos sabemos que a veneração à Maria é um dogma inegociável da Igreja Católica e foram os reformadores, no século XVI, através do tema Solus Christus (Somente Cristo) que aboliram a devoção à mãe de Jesus, pois, Cristo é o único objeto de adoração para o cristão, e esta adoração não precisa de nenhuma outra mediação, pois Jesus é o único mediador (1 Tm 2.5). 

18 de mai de 2015

Um resumo de Romanos

Por João Calvino

Estou em dúvida se valeria a pena gastar demasiado tempo com a exposição sobre o valor desta Epístola. Minha incerteza tem por base o simples receio de que, ao comentá-la, não venha a afetar ou a minimizar sua grandeza, e que minhas observações não venham simplesmente a obscurecê-la, em vez esclarecê-la. Deve-se também ao fato de que, em seu próprio início, a Epístola se introduz melhor e melhor se explica, em termos muito mais claros, do que qualquer comentário poderia descrever. Portanto, ser-me-á preferível que, sem delonga, me introduza no próprio tema. Tal fato nos comprovará, além de toda dúvida, que entre as muitas e notáveis virtudes, a Epístola possui uma, em particular, a qual nunca é suficientemente apreciada, a saber: se porventura conseguirmos atingir uma genuína compreensão desta Epístola, teremos aberto uma amplíssima porta de acesso aos mais profundos tesouros da Escritura.

17 de mai de 2015

O Sermão Escatológico de Cristo (2/2)

Por Thiago Oliveira
A Grande Tribulação ou A Queda de Jerusalém (Mt 24: 15-21)
Devemos lembrar que o discurso de Jesus tem por base o questionamento duplo feito pelos discípulos. De início sua resposta tenta corrigir o equívoco de seus interlocutores, que achavam que a parousia aconteceria logo após a destruição de Jerusalém, por isso vai falar que o que está para acontecer com Jerusalém e também outros eventos no decorrer da história são apenas o começo das dores. 

16 de mai de 2015

O Sermão Escatológico de Cristo (1/2)

Por Thiago Oliveira

O capítulo 24 do Evangelho segundo Mateus registra as falas de Jesus acerca do fim dos tempos. Todavia, Jesus ali também fala da destruição de Jerusalém que aconteceria ainda naquele século, como de fato aconteceu no ano 70 d.C., quando os romanos - liderados por Tito - invadiram e assolaram a Cidade de Davi. Se tratando de um texto escatológico, a controvérsia se faz presente nos círculos teológicos. Poucos textos geram tantos debates e interpretações como Mateus 24 (cf. Mc 13 e Lc.21). O que contribui para que haja alguns desacordos interpretativos é a presença do linguajar figurativo, tão comum da profecia judaica.

15 de mai de 2015

O Dia que o Diabo Pregou

Por Daniel Rocha

Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens. (Mateus 16.23)

E se fosse concedida ao diabo a oportunidade de pregar um sermão? Como seria essa pregação? Obviamente ele não falaria que estava fundando uma nova “igreja” com o seu nome para arrebanhar gente, pois ele pode ser tudo, menos estúpido. É mais prático entrar na seara dos fiéis e pregar um “Deus” que não existe, expor um simulacro do Eterno e um Jesus que vai além das Escrituras, pois com isso ele semearia o joio em meio ao trigo e exporia meias-verdades valendo-se de textos piedosos, por saber muito bem que a mentira mais destrutiva é aquela que mais se parece com a verdade.

Confrontando com Amor

R.C. Sproul

Toda vez que eu leio os evangelhos, fico impressionado com o fato de como Jesus parecia encontrar-se em meio a uma controvérsia onde quer que ele fosse. Também fico impressionado com a forma como Jesus lidava com cada controvérsia de maneira diferente. Ele não seguia o exemplo de Leo “The Lip” DeRosier, o ex-gerente do New York Giants, tratando cada pessoa que ele encontrava da mesma maneira. Embora ele esperasse que todos “jogassem pelas mesmas regras”, ele pastoreava as pessoas de acordo com as necessidades específicas delas.

14 de mai de 2015

O Argumento Moral Para a Existência de Deus

Por W.L. Craig

Embora William Lane Craig represente a apologética evidencialista, e nós seguimos a pressuposicionalista, este vídeo contendo o argumento moral para a existência de Deus é coerente e não choca com nenhum dos argumentos pressuposicionalistas. A própria Escritura afirma que Deus é bom e que Ele, com sua Lei, nos obriga a seguirmos por caminhos bons. Certo e Errado são noções que só fazem sentido num mundo criado e governado por uma divindade absoluta e soberana. E essas são proposições bíblicas.

A negociação com a Salvação (Série: Os Sete pecados da Igreja contemporânea)

Por Daniel Clós Cesar

“Quantos aqui hoje querem aceitar Jesus no coração? Ninguém? Ninguém quer mudar de vida, ser família unida, seus filhos prósperos? Alguém? ... Vejo uma mão ali... outra mão ali... Deus quer mudar sua História, quer te fazer mais que vencedor... Outra mão ali... Você não sabe porque sua vida não dá certo, você dorme e não sabe porque seu dia foi difícil, porque seu trabalho não vai pra frente, e parece que quando as coisas começam a melhorar aparece outra tribulação... mais uma mão ali... Glória Deus, eu vejo mais uma mão... Oh Aleluias!”

13 de mai de 2015

Calvinismo Escocês e Calvinismo Holandês

Justin Holcomb

Você já ouviu falar da “outra” teologia reformada? Muitos, na ressurgência do interesse pela Reforma, estão familiarizados apenas com um lado do amplo espectro histórico da teologia reformada e, infelizmente, muitos dos estereótipos do “calvinismo” existem porque o legado de João Calvino tem sido negligentemente mutilado.

Solus Christus: O Mediador

Por Thomas Magnum



Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.     

1 Timóteo 2:5

Minha proposta aqui não é adentrar pelos corredores da história em seus concílios, credos, confissões e resoluções eclesiásticas sobre as controvérsias cristológicas, talvez, em outro momento tratemos disso. O objetivo é trazer à tona a importância dos princípios da reforma ainda para nossos dias e como eles permanecem atuais e necessários à pregação e ensino no labor da igreja. Através de uma breve exposição do texto mencionado em 1Timóteo iremos refletir na importância desse assunto referente a pessoa do Senhor Jesus no ensino da igreja.

12 de mai de 2015

Pregando Cristo e proclamando Sua Graça a partir de Sofonias

Por Morgana Mendonça dos Santos

O livro de Sofonias é pouco ensinado em nossos púlpitos, com três capítulos apenas, a ênfase é no Juízo Divino sobre a humanidade (1.2-3)  e sobre o Seu próprio povo (1.4-6). Esse dia está próximo (1.7,14) e o profeta oferece detalhes na descrição (1.15). Sofonias aponta outras peculiaridades diante dos 16 livros proféticos a começar por sua genealogia. 

"Palavra do Senhor que veio a Sofonias, filho de Cuchi, neto de Gedalias, bisneto de Amarias e trineto de Ezequias, durante o reinado de Josias, filho de Amom, rei de Judá:" Sofonias‬ ‭1‬:‭1‬

Um apelo para a intersecção entre a Teologia Sistemática e a Exposição das Escrituras

Por Alan Rennê Alexandrino

Meu último ponto aborda a necessidade de congruência entre exegese e teologia sistemática na atividade da pregação expositiva. Seria bom termos uma palestra apenas sobre este assunto. Como isso não é possível no momento, limitar-me-ei ao desenvolvimento de uma problemática e ao apontamento de algumas sugestões, a fim de expor a necessidade de que nossas pregações sejam teológicas. 

11 de mai de 2015

Deus não precisa de você



Lógica Pressuposicional

Por Ian Hodge
Preciso dizer isso de novo. Sou um aprendiz lerdo. Dãr!
Ora, após 30 anos pensando que era pressuposicionalista, o Dr. Greg Bahnsen mudou a minha mente. Eu estava perto, mas não o suficiente.
Há duas coisas que desafiam todo pensamento: infalibilidade e onisciência.
Exemplo:
Premissa 1: A mente grega (humanista) gostar de fazer conclusões, achar respostas.
Premissa 2: A mente hebraica (não humanista) está interessa no processo, não em conclusões.
Conclusão: Você deve ler as Escrituras com a mente hebraica, não com a mente humanista e, portanto, você não deve fazer conclusões.

10 de mai de 2015

Ser Mãe é uma Benção



A maternidade é uma benção divina. Nos tempos bíblicos era algo muito desejado e festejado pelas mulheres. Sara, a esposa do patriarca Abraão ficou tão feliz com o nascimento do seu filho que louvou a Deus dizendo:

"Deus me encheu de riso, e todos os que souberem disso rirão comigo".
Gênesis 21:6

Deu ao menino o nome de Isaque (ele sorri) e sentia-se completa por ser mãe, e mais grata ainda pelas circunstancias de sua gestação, que ocorreu já em sua velhice. 

9 de mai de 2015

O que 'Vingadores 2' nos ensina sobre casamento e família

Por Russell D. Moore

Na última Sexta-Feira cumpri minha promessa de levar meu pequeno rebanho de filhos para assistir o filme que eles vinham aguardando o ano inteiro: ‘Vingadores: Era de Ultron’. Eu esperava ter que explicar algumas coisas, como eu faço em qualquer filme, e o fiz. Houve uma ou outra profanidade. O vilão tinha um certo ‘complexo de messias’, inclusive com algumas citações do Próprio Messias. Mas o que mais me surpreendeu foi a centralidade da família nesse filme. E, por família, eu não estou falando do conceito elástico e redefinido de “famílias”, mas uma afirmação contracultural da estabilidade da família natural e nuclear.

8 de mai de 2015

É certo orar para o Espírito Santo?



Por que a Pregação Expositiva é necessária nos nossos dias?

Por Alan Rennê Alexandrino

É bem verdade que a necessidade da pregação expositiva é evidente, em virtude de que somos gerados pela palavra da verdade (Tiago 1.18), somos santificados pela verdade da Palavra de Deus (João 17.17), e somos alimentados com as palavras da fé e da boa doutrina que temos seguido (1Timóteo 4.6). Não obstante, creio que quando observamos o que as Escrituras nos mostram acerca do modo como Deus alimenta e edifica a sua Igreja e leva adiante a expansão do reino, outras razões que evidenciam a necessidade da exposição bíblica em nossos púlpitos se tornam também mais claras. 

7 de mai de 2015

7 razões para não chamar músicos de levitas

Por Josaías Jr.

Sei que esse assunto já foi batido e rebatido várias vezes, por isso é possível que esse texto não apresente nenhuma novidade para alguns irmãos. Entretanto, gostaria de compilar aqui algumas das melhores razões para não usarmos a expressão levita para designar as pessoas que tocam e cantam no “período de louvor”. E mesmo que você não use o termo, proponho que leia pelo prazer de ver a história da salvação se desenrolando na figura do sacerdote.

A ilusão do pecado oculto

Por Thiago Azevedo 

Muitas pessoas dão credibilidade, e até mesmo importância, ao tão famoso pecado oculto. Seções de cura interior, psicanálise cristã e outras práticas que são usadas na busca do descobrimento do tão famigerado pecado oculto. Vale salientar que algumas das técnicas psicológicas utilizadas por alguns “doutores da alma” cristãos, na busca da purificação da alma alheia acerca do pecado, nem sequer são mais usadas pela própria psicologia. Como é o caso da regressão. Ou seja, os ditos cristãos fazendo uso do resto e do lixo de outras áreas da ciência e trazendo esta bagagem funesta para o ambiente cristão. Na realidade o cristianismo não precisa e nem nunca precisou de tais procedimentos.

6 de mai de 2015

Uma breve Biografia do Dr. Martyn Lloyd Jones



A Importância do Ensino Sobre Missões

Por Thomas Magnum

Ao falarmos de consciência missionária na igreja local geralmente temos a rápida associação do funcionamento de um departamento ou conselho missionário realizando o trabalho de coleta de dados, contato com missionários, atualização de informações para a igreja, reuniões com o departamento de missões da denominação ou a realização de cultos que tem algum momento de reflexão sobre a realidade do campo. A leitura de cartas de missionários e também a promoção de eventos voltados para a obra missionária como seminários, simpósios, congressos, conferências. Todas as questões citadas são de grande relevância ao trabalho de conscientização missionária para a igreja local, mas será que devemos limitar nosso trabalho com a igreja local a esses tópicos? 

5 de mai de 2015

O Problema do Falso Cristianismo



Malafaia e Feliciano disputam quem é o mais herege

Por Thiago Oliveira

Quão triste é ter que escrever sobre tais coisas. Novamente sei que muitos que são adeptos do “não julguem” irão me julgar e dizer que eu não deveria criticar estes (pseudos) pastores. Mas como me calar quando a Sã Doutrina é vilipendiada grosseira e cinicamente? Primeiro, o Silas Malaia não satisfeito com os hereges que aqui estão, convida um dos Estados Unidos para mercadejar na cara dura uma “unção misteriosa”. Sábado, dia 02/05/2015, Morris Cerullo, apresentado como um homem de Deus e portador de bênçãos, diz que é necessário ter fé, ou seja, ofertar dinheiro para ver os milagres acontecerem. 

4 de mai de 2015

Graças a Deus pelo Neo-Ateísmo

Por Alister McGrath

Já era tempo de se livrar do lixo em nossos sótãos intelectual e cultural. A crença em Deus não passava de uma curiosa e obsoleta relíquia."

A sensação de novidade do neo-ateísmo garante sua repercussão na mídia. É claro que praticamente todos seus argumentos são requentados e reciclados. A novidade em si tem mais a ver com seu imenso prazer em ridicularizar a religião e seus respectivos crentes. Um tabu cultural foi quebrado.

O que é a Teologia Reformada?

Por James Boice

A Teologia Reformada recebe seu nome da Reforma Protestante do século XVI, com suas ênfases teológicas distintas, mas é teologia solidamente baseada na própria Bíblia. Os crentes na tradição reformada têm alta consideração as contribuições específicas como as de Martinho Lutero, Jonh Knox e, particularmente, de João Calvino, mas eles também encontram suas fortes distinções nos gigantes da fé que os antecederam, tais como Anselmo e Agostinho e principalmente nas cartas de Paulo e nos ensinamentos de Jesus Cristo.
Os Cristãos Reformados sustentam as doutrinas características de todos os cristãos, incluindo a Trindade, a verdadeira divindade e humanidade de Jesus Cristo, a necessidade do sacrifício de Jesus pelo pecado, a Igreja como instituição divinamente estabelecida, a inspiração da Bíblia, a exigência para que os cristãos tenham uma vida reta, e a ressurreição do corpo. Eles sustentam outras doutrinas em comum com cristãos evangélicos, tais como justificação somente pela fé, a necessidade do novo nascimento, o retorno pessoal e visível de Jesus Cristo e a Grande Comissão.

O que, então, é distinto a respeito da Teologia Reformada?

1. A Doutrina das Escrituras

O compromisso da reforma para com a Escritura enfatiza a inspiração, autoridade e suficiência da Bíblia. Uma vez que a Bíblia é a Palavra de Deus e, portanto, tem a autoridade do próprio Deus, os reformadores afirmam que essa autoridade é superior àquela de todos os governos e de todas as hierarquias da Igreja. Essa convicção deu aos crentes reformados a coragem para enfrentar a tirania e fez da teologia reformada uma força revolucionária na sociedade. A suficiência das Escrituras significa que ela não necessita ser suplementada por uma revelação nova ou especial. A Bíblia é o guia completamente suficiente para aquilo que nós devemos crer e para como nós devemos viver como cristãos.

Os Reformadores, em particular, João Calvino, enfatizaram o modo como a Palavra escrita, objetiva e o ministério interior, sobrenatural do Espírito Santo trabalham juntos, e o Espírito Santo iluminando a Palavra para o povo de Deus. A Palavra sem a iluminação do Espírito Santo mantém-se como um livro fechado. A suposta condução do Espírito sem a Palavra leva a erros excessos. Os Reformadores também insistiam sobre o direito de os crentes estudarem as Escrituras por si mesmos. Ainda que não negando o valor de mestres capacitados, eles compreenderam que a clareza das Escrituras em assuntos essenciais para a salvação torna a Bíblia propriedade de todo crente. Com esse direito de acesso, sempre vem a responsabilidade sobre a interpretação cuidadosa e precisa.

2. A Soberania de Deus

Para a maioria dos reformadores, o principal e o mais distinto artigo do credo é a soberania de Deus. Soberania significa governo, e a soberania de Deus significa que Deus governa sua criação com absoluto poder e autoridade. Ele determina o que vai acontecer, e acontece. Deus não fica alarmado, frustrado ou derrotado pelas circunstâncias, pelo pecado ou pela rebeldia de suas criaturas.

3. As Doutrinas da Graça

A Teologia Reformada enfatiza as doutrinas da graça.

Depravação Total: Isso não quer dizer que todas as pessoas são tão más quanto elas poderiam ser. Significa, antes, que todos os seres humanos são afetados pelo pecado em todo campo do pensamento e da conduta, de forma que nada do que vem de alguém, separado da graça regeneradora de Deus, pode agradá-lo. À medida que nosso relacionamento com Deus é afetado, nós somos tão destruídos pelo pecado, que ninguém consegue entender adequadamente Deus ou os caminhos de Deus. Tampouco somos nós que buscamos Deus, e, sim, é ele quem primeiramente age dentro de nós para levar-nos a agir assim.

Eleição Incondicional: Uma ênfase na eleição incomoda muitas pessoas, mas o problema que as preocupa não é realmente a eleição; diz respeito à depravação. Se os pecadores são tão desamparados em sua depravação, como a Bíblia diz que são, incapazes de conhecer a Deus e relutantes em buscá-lO, então, o único meio pelo qual eles podem ser salvos é quando Deus toma a iniciativa de mudá-los e salvá-los. É isso que significa eleição. É Deus escolhendo salvar aqueles que, sem sua soberana escolha e subseqüente ação, certamente pereceriam.

Expiação Limitada: O nome é, potencialmente, enganoso, pois ele parece sugerir que os reformadores desejam de alguma forma limitar o valor da morte de Cristo. Não é o caso. O valor da morte de Cristo é infinito. A questão é saber qual é o propósito da morte de Cristo e o que ele realizou com ela. Cristo pretendia fazer da salvação algo não mais que possível? Ou ele realmente salvou aqueles por quem morreu? A Teologia Reformada acentua que Jesus realmente fez a propiciação pelos pecados daqueles a quem o Pai escolhera. Ele realmente aplacou a ira de Deus para com seu povo, assumindo a culpa sobre si mesmo, redimindo-os verdadeiramente e reconciliando verdadeiramente aquelas pessoas específicas com Deus. Um nome melhor para expiação “limitada” seria redenção “particular” ou “específica”.

Graça Irresistível: Abandonados em nós mesmos, nós resistimos à graça de Deus. Mas, quando Deus age em nosso coração, regenerando-nos e criando uma vontade renovada, então, o que antes era indesejável torna-se altamente desejável, e voltamo-nos para Jesus da mesma forma como antes fugíamos dele. Pecadores arruinados resistem à graça de Deus, mas a sua graça regeneradora é efetiva. Ela supera o pecado e realiza os desígnios de Deus.

Perseverança dos Santos: Um nome melhor seria “perseverança de Deus para com os santos”, mas ambas as idéias estão realmente juntas. Deus persevera conosco, protegendo-nos de deixar a fé, que certamente aconteceria se ele não estivesse conosco. Mas, porque ele persevera, nós também perseveramos. Na realidade, perseverança é a prova definitiva de eleição.

4. Mandato Cultural

A Teologia Reformada também enfatiza o mandato cultural ou a obrigação de os cristãos viverem ativamente em sociedade e de trabalharem para a transformação do mundo e suas culturas. Os reformadores tiveram várias perspectivas nessa área, dependendo da extensão como acreditam que a transformação seja possível. Mas, no geral, concordam com duas coisas. Primeira, nós somos chamados para estar no mundo e não para nos afastarmos dele. Isso separa os reformadores crentes do monasticismo. Segunda, nós devemos alimentar os famintos, vestir os despidos e visitar os prisioneiros. Mas as principais necessidades das pessoas são espirituais, e a obra social não é substituto adequado para a evangelização. Na verdade, o empenho em ajudar as pessoas só será verdadeiramente eficiente se seu coração e mente forem transformados pelo Evangelho. Isso separa os crentes reformados do simples humanitarismo.

Tem-se alegado que, para a Teologia Reformada, qualquer pessoa que crê e faça parte da linha reformada perderá toda a motivação para a evangelização. “Se Deus vai agir, por que devo me preocupar?” Mas não é assim que funciona. É porque Deus executa a obra que nós podemos Ter coragem de nos unirmos a ele, da forma como ele nos ordena a agir. Nós agimos assim alegremente, sabendo que nossos esforços jamais serão em vão.

2 de mai de 2015

Guardai-vos das distrações

Por Morgana Mendonça dos Santos

Na caminhada cristã, tenho observado como existem distrações e/ou adições irrelevantes no culto ao Senhor. Com alguns convites para pregar em várias denominações tenho observado o andamento do culto solene em várias igrejas. E sempre lembrando de uma frase que um dia escutei de um piedoso professor: "O culto ao Senhor deve ser a manifestação do Sagrado".

1 de mai de 2015

O significado do Trabalho

Por Mathew Sims

No princípio era o trabalho. Deus orquestra a ordem ao mundo e coroa seu trabalho dando o seu sopro de vida ao pó. “Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gênesis 2.7). E após cada dia de trabalho, Deus declara: “é bom”.

Os Povos Não Alcançados ao Nosso Alcance

Por Thomas Magnum

"Deus Chama seu povo para participar de Sua Missão".

Christopher Wright

Gosto muito de acompanhar pesquisas, sejam elas no campo científico, estudantil, comportamental, mercado etc. No entanto quando acompanho pesquisas de cunho missiológico não o faço por mera curiosidade, mas pela grande importância e urgência do trabalho missionário. As pesquisas servem para nortear o trabalho missionário no que se refere a carência dos povos, e considero muito importante a catalogação de povos não alcançados para que as denominações evangélicas e agências missionárias envolvidas na causa do mestre possam ter de forma palpável material de comparação e dados importantes para o campo de pesquisa dos missiólogos.