1509725595914942

23 de mai de 2015

Prioridades de Pais Cristãos

Por Wallace Jaguaribe

Se lhe fosse concedido as melhores condições socioeconômicas possíveis, que escola você procuraria para seu filho? E, a quem procuraria para ser professor dele? Certamente a resposta seria: a melhor escola e o melhor ou os melhores professores. Se nós, falíveis seres humanos, agiríamos assim, quanto mais Deus - o Todo-poderoso, onisciente, sábio, justo e bom – faria em relação aos pais humanos do Seu Filho. Creio que a escolha foi feita com este mesmo critério: os melhores. Assim sendo, o Senhor viu esta qualidade no casal Maria e José. Pais modelos para um filho perfeito.

Em Lucas 2:41-52 está escrito:

Ora, anualmente iam seus pais a Jerusalém, para a Festa da Páscoa. Quando ele atingiu os doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa. Terminados os dias da festa, ao regressarem, permaneceu o menino Jesus em Jerusalém, sem que seus pais o soubessem. Pensando, porém, estar ele entre os companheiros de viagem, foram caminho de um dia e, então, passaram a procurá-lo entre os parentes e os conhecidos; e, não o tendo encontrado, voltaram a Jerusalém à sua procura. Três dias depois, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. E todos os que o ouviam muito se admiravam da sua inteligência e das suas respostas. Logo que seus pais o viram, ficaram maravilhados; e sua mãe lhe disse: Filho, por que fizeste assim conosco? Teu pai e eu, aflitos, estamos à tua procura. Ele lhes respondeu: Por que me procuráveis? Não sabíeis que me cumpria estar na casa de meu Pai? Não compreenderam, porém, as palavras que lhes dissera. E desceu com eles para Nazaré; e era-lhes submisso. Sua mãe, porém, guardava todas estas coisas no coração. E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens.

Este registro revela, muitas verdades sobre Jesus, como a sua consciência de divindade e propósito, mas, também nos informa pelo menos duas coisas sobre seus pais terrenos. 

I. COMPROMISSO COM AS ORDENANÇAS DE DEUS

 Lucas 2:41 “...anualmente iam seus pais à Jerusalém, para a festa da Páscoa...”.

Os pais de Jesus eram ativos, praticantes dos seus compromissos de adoração pública. Existiam três festas obrigatórias para o povo de Deus: Páscoa, Pentecostes (também chamada de Festa das Semanas ou Festa das Primícias), e a Festa do Tabernáculo (Deuteronômio 16:1-17). O Evangelho de Lucas registra a participação dos pais de Jesus na festa da páscoa, realçando seu compromisso quando destaca sua frequente presença com as palavras “anualmente iam”. Um excelente exemplo a ser seguido – a participação regular nos encontros públicos do povo de Deus para adoração.

Hoje, não temos festas obrigatórias, mas temos a ordenança para nos congregar, como a que encontramos em Hebreus 10:27 “Não deixemos de congregar, como é costume de alguns...” Em outras palavras, mantenhamos o hábito santo de nos reunir para adorar publicamente ao nosso Deus. Pais que demonstram, pela prática, valorizar as determinações de Deus têm mais possibilidade de incutir este hábito saudável na vida de seus filhos. O livro de Provérbios, em seu capítulo 22, no verso 6, nos exorta a ensinar a criança no caminho que deve andar para que esta, quando vier a envelhecer, não se desvie dele. O centro do provérbio é ensinar no caminho, ensinar pelo exemplo, o bem conhecido faça o que eu faço. O exemplo dos pais é o processo comum de Deus para edificar os filhos.

Para manter sua fidelidade ao Senhor, José e Maria tiveram que superar obstáculos. Primeiro, o obstáculo da distância entre Nazaré, cidade onde moravam, e Jerusalém, cidade onde deveriam ir para celebrar a Páscoa. A distância que tinham de percorrer era de aproximadamente 131 Km. A viagem era feita a pé, pelos que tinham poucos recursos financeiros, e esta era a situação dos pais de Jesus. Deduzimos isto da oferta que eles apresentaram, registrado em Lucas 2:24, “um par de rolas e dois pombinhos”. Este tipo de oferta era oferecido pelos pobres. Além disso, havia despesa com a viagem, alimentação etc. Mas, eles não negligenciaram seus compromissos com Deus alegando dificuldades. Esta é mais uma atitude da família de Jesus que devemos imitar.

II.COMPROMISSO COM A SAÚDE ESPIRITUAL DO FILHO

Quando Jesus atingiu doze anos, seus pais o levaram a Jerusalém, segundo o costume da festa (Lucas 2:42). Não apenas os pais de Jesus davam exemplo na devoção pessoal a Deus, mas também cuidavam com zelo da vida espiritual do seu filho. Levaram Jesus. Há pais que enviam os filhos, mas eles mesmos não têm qualquer compromisso com Deus. Certamente, na caminhada para Jerusalém iam praticando a determinação de Deuteronômio 6:4-9 para amar o Senhor, guardar a palavra de Deus no coração e inculcar esta palavra a seus filhos, dialogando com eles em casa, nas atividades diárias e até, um pouco antes de deitarem ara dormir, à noite.

Os pais de Jesus zelavam também pela qualidade da companhia do seu filho, pois quando perceberam a ausência de Jesus, procuraram-no entre parentes e conhecidos (Lucas 2:44). Parentes e conhecidos representavam o circulo de segurança onde seu filho poderia estar. Precisamos também selecionar as pessoas com as quais nossos filhos podem estar. Parentes e conhecidos, certamente pessoas que compartilhavam da mesma fé, pois, todos estavam voltando da mesma atividade espiritual. Este cuidado é importante porque “as más conversações corrompem os bens costumes” (1 Coríntios 15:33). Em Provérbios 22:24-25 diz que não devemos nos associar com o iracundo para que não aprendamos seu estilo de vida. Este zelo dos pais de Jesus deve ser copiado por cada família.

No momento de disciplinar, os pais de Jesus nos ensinam que devemos ser mais racionais do que emocionais. Depois de procurar Jesus por três dias, ao encontrá-lo, eles não fazem um escândalo, não soltam gritos numa explosão de ira, o que eles fazem? Eles, mesmo aflitos, perguntam a razão do acontecido ( Lucas 2:48), ouvem a resposta, e demonstram um grande controle emocional. Que exemplo, hein? Precisamos imitá-los.

Tudo isto também demonstra que os pais de Jesus eram muito presentes na vida do filho. Ensino pela presença. A Revista Veja publicada em 15 de 10 de 1997, narra uma notícia com o seguinte título “Elefantes jovens que cresceram longe da família matam rinocerontes na África”. A razão é que um bando de elefantes órfãos foi levado para uma reserva e cresceram sem modelo de comportamento dos elefantes adultos. Como os elefantes vivem em bandos, com hierarquia bem definida, este distanciamento causou dano psicológicos nos animais que matavam por prazer. Se queremos uma família saudável precisamos seguir o exemplo da família mais saudável, escolhida por Deus para cuidar do Seu Filho Unigênito. Pais que são comprometidos com Deus e com a sua obra, saudáveis espiritual e emocionalmente, pais modelos para os filhos.

Que Deus nos ajude.

Nenhum comentário: