1509725595914942

20 de mai de 2016

O Novo Calvinismo Deformado

Por Thomas Magnum

A cada dia o movimento reformado no Brasil vai ficando mais estranho. E suas características vão se aproximando do secularismo, mundanismo, anti-pactual, reducionista e mais uma série de mazelas. Quem acabou de ler um texto de blog ou ver um vídeo de um "outro" contra um ponto tradicional da fé reformada já se acha capaz de mostrar os "erros dos calvinistas tradicionais". É um fenômeno curioso, sempre antes da apostasia doutrinária vem um estabelecimento de uma "nova ortodoxia", e esse fato corrobora historicamente para uma situação de declive.

Já tenho dito faz tempo que as causas iniciais possíveis nesse novo "Calvinismo Deformado" (título que dou a tal movimento) é fruto da mesma gênese das controvérsias teológicas, a saber: presunção e arrogância. A tradição reformada carrega nos ombros uma sólida teologia pactual que segue em linha exegética histórico-gramatical. Essa abordagem hermenêutica faz muita diferença num processo de interpretação dentro de uma teologia bíblica. Ao meu ver, o biblicismo de muitos reformados requerendo texto comprobatório pra tudo (achando que isso é seguir a risca o sola scriptura) é desmoronador de suas próprias convicções. A teologia pactual é progressiva, orgânica e adaptável na teologia bíblica, segue o desenvolvimento da revelação de Deus. Uma forma estanque de abordagem biblicista é estranha ao método histórico-redentivo de olhar teologicamente o processo de revelação divina.

Teologia não se faz assistindo vídeos de três minutos, nem lendo um texto corrido de quatro mil caracteres. A teologia reformada tem um contexto, uma construção lógica, hermeneuticamente aplicável a nosso contexto. Acho que o desforque do atual Calvinismo Deformado se dá pela falta de maturidade com a teologia reformada, leiam historia da teologia, história do pensamento cristão, leiam as confissões de fé, catecismos e catecismos comentados, leiam teologia bíblica do Antigo e Novo Testamento, é precido parar de achar que conhece teologia sem ler responsavelmente o que ela diz e é preciso uma disposição paciente e honesta de anos de estudos para uma maturação teológica.

Esse Calvinismo anômalo é secular, anti-confessional, conectado as seduções de interpretações pós-modernas. Quão estranho é ver neófitos apaixonados pelo calvinismo, de forma a exaltar o que é para servir e se tornam servos de um coração soberbo e imaturo. Não é um "sobrenome" como: Fulano de Tal Puritano ou Reformado que faz de você alguém respeitável teologicamente, isso só é adquirido com suor sobre páginas, lágrimas sobre a Escritura, de joelhos diante da majestade de Deus. 

O verdadeiro Calvinista segue e se esforça pela piedade cristã, pela simplicidade, pela humildade, pela paixão pela glória de Deus, pelo zelo doutrinário e pela proclamação da verdade.

3 comentários:

Neemias Nego disse...

Tem alguns que acham ser Calvino encarnado...

Cadastre-se disse...

"Ao meu ver, o biblicismo de muitos reformados requerendo texto comprobatório pra tudo (achando que isso é seguir a risca o sola scriptura) é desmoronador de suas próprias convicções."

Não entendi essa parte. Não devemos buscar todas as respostas na Palavra?

Thomas Almeida disse...

Olá, agradeço que tenha lido o texto. A parte se refere ao biblicismo e não a postura bíblica. Exemplo: Na bíblia não encontramos que fumar maconha é errado, mas sabemos que é por inferência. No caso da frase citada, a teologia bíblica e pactual vai demonstrar através da progressividade da revelação explicações de questões teológicas mais tardias na vida da comunidade cristã.