1509725595914942

25 de mai de 2016

Mormonismo - uma seita norte-americana

Por Thiago Oliveira

O mormonismo é o nome popular de uma seita fundada por Joseph Smith Jr. em 1830 no estado de Nova Iorque. O nome oficial da igreja mórmon é “Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. Smith, segundo a história oficial da igreja, teve uma revelação aos 14 anos de idade ao perguntar a Deus, em oração, qual seria a igreja verdadeira, já que haviam tantas denominações. A resposta que alega ter recebido é a de que Deus abominara todas as igrejas até então e o levantaria para ser o fundador da religião verdadeira. Não apenas isso, Smith também seria agraciado com a revelação de um livro sagrado que complementaria a Bíblia.

Joseph Smith e seus seguidores realizaram uma marcha para o oeste dos EUA, sendo desbravadores de áreas não habitadas e fundando cidades. Os mórmons se envolveram em muitas disputas e Smith, junto com um de seus irmãos, acabou assassinado dentro de uma prisão em Illinois, no ano de 1844. Seu sucessor foi Brighanm Young, líder responsável pelo crescimento dos mórmons ao estabelecer o estado de Utah como o reduto da nova igreja. Na versão oficial da igreja, ocorreu algo miraculoso como confirmação da sucessão:

Os membros dos Doze convocaram uma reunião dos santos em 8 de agosto de 1844, na qual falou Brigham Young, o Presidente do Quórum dos Doze. Ao fazê-lo, ocorreu um evento extraordinário que foi testemunhado por muitos santos. O Presidente Young assumiu milagrosamente a aparência e a voz de Joseph Smith. “Se Joseph tivesse ressuscitado dos mortos e falado novamente para ser ouvido”, relembrou George Q. Cannon, “o efeito não teria sido mais espantoso do que foi para muitos dos presentes naquela reunião. Era a voz do próprio Joseph, e não foi apenas a voz de Joseph que se ouviu; mas parecia, aos olhos do povo, como se o próprio Joseph, em pessoa, estivesse diante deles. Nunca se ouviu falar de um evento mais maravilhoso e milagroso do que o que aconteceu naquele dia na presença daquela congregação. O Senhor deu a Seu povo um testemunho que não deixou espaço para dúvidas sobre quem era o homem que Ele havia escolhido para liderá-los”. [1]

Mas parece que o “milagre” não convenceu o filho de Smith, que junto com cerca de 5% dos seguidores de seu pai fundou uma outra igreja - hoje é conhecida como Comunidade de Cristo e sediada em Missouri, lugar que os mórmons acreditam ser a Nova Jerusalém.

HIERARQUIA DA IGREJA

A presidência da igreja é legada ao profeta e seus dois conselheiros chamados apóstolos. O profeta é auxiliado pelo quórum dos doze apóstolos. Quando morre, o membro mais antigo do quórum assume em seu lugar. Thomas S. Monson é o atual presidente. Congregações locais são lideradas sob o modelo de bispado. É tradição o presidente dar um testemunho acerca do fundador da igreja. Vejamos o que alguns ex-presidentes já falaram sobre Joseph Smith:

Joseph Smith foi escolhido para colocar-se à cabeça da obra do Senhor nos últimos dias e sua obra lhe foi atribuída por meio da presciência de nosso Pai Eterno nas eternidades, antes que ele nascesse. Ele veio no espírito de Elias a fim de preparar o caminho para a vinda de nosso Senhor. Nenhum profeta, desde a época de Adão, exceto, evidentemente, o nosso Redentor, recebeu uma missão maior que a dele”.

Presidente Joseph Fielding Smith

Quem foi Joseph Smith? O Livro de Mórmon conta que ele era da semente de José que foi vendido no Egito e foi escolhido como Abraão para cumprir uma obra na Terra. Deus escolheu aquele rapaz. Ele não era instruído, em termos do mundo, mas era o homem mais profundamente instruído e inteligente que já conheci na vida, e já viajei centenas de milhares de quilômetros, tendo estado em vários continentes e convivido com todas as classes e credos de pessoas, mas nunca conheci um homem tão inteligente quanto ele. Mas onde ele conseguiu a sua inteligência? Não foi dos livros; não foi da lógica, ciência ou filosofia de sua época, mas ele a obteve por meio de revelações de Deus que lhe foram dadas a conhecer por intermédio do evangelho eterno”.

Presidente John Taylor

A admiração à figura de Smith como o grande profeta é levada ao extremo, pois, há até mesmo hinos que são usados para louvar a sua pessoa. Caso do hino de número 14 que tem o seguinte título: “Hoje, ao Profeta Louvemos” (confira aqui).

LIVROS SAGRADOS

Além da Bíblia, os mórmons possuem outros livros que consideram sagrado. O mais importante deles seria O Livro de Mórmon – o outro testamento de Jesus Cristo. Segundo a história oficial da igreja, Joseph Smith recebeu os livros do filho de Mórmon, Moroni, um ser iluminado que indicou o local exato das placas de ouro com o conteúdo do livro. Smith, segundo seu próprio relato, foi agraciado com a capacidade de interpretar o conteúdo das placas. Vejamos o que diz na própria introdução do Livro de Mórmon:

O Livro de Mórmon é um volume de escrituras sagradas comparável à Bíblia. É um registro da comunicação de Deus com antigos habitantes das Américas e contém a plenitude do evangelho eterno. O livro foi escrito por muitos profetas antigos, pelo espírito de profecia e revelação. Suas palavras, escritas em placas de ouro, foram citadas e resumidas por um profeta-historiador chamado Mórmon. O registro contém um relato de duas grandes civilizações. Uma veio de Jerusalém no ano 600 a.C. e posteriormente se dividiu em duas nações, conhecidas como nefitas e lamanitas. A outra veio muito antes, quando o Senhor confundiu as línguas na Torre de Babel. Esse grupo é conhecido como jareditas. Milhares de anos depois, foram todos destruídos, exceto os lamanitas, que estão entre os antepassados dos índios americanos. O acontecimento de maior relevância registrado no Livro de Mórmon é o ministério pessoal do Senhor Jesus Cristo entre os nefitas, logo após a Sua ressurreição. O livro expõe as doutrinas do evangelho, delineia o plano de salvação e explica aos homens o que devem fazer para ganhar paz nesta vida e salvação eterna no mundo vindouro.”

Na mesma introdução há uma palavra de Joseph Smith na qual lemos:

Eu disse aos irmãos que o Livro de Mórmon era o mais correto de todos os livros da Terra e a pedra fundamental de nossa religião; e que seguindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de Deus do que seguindo os de qualquer outro livro” (grifo nosso).

Podemos notar que a Bíblia fica em segundo plano, servindo apenas como um documento que faz uma ponte para os acontecimentos da escritura mórmon, e também lhe conferindo um status de autenticidade. Todavia, diferente dos fatos narrados na Bíblia, não existe nenhum achado arqueológico ou nenhum elemento de tradição oral que confirme alguma narrativa do Livro de Mórmon. Não há nenhum nome ou resquício cultural-religioso nos povos pré-colombianos que possam ser ligados ao conteúdo do citado livro.As placas de ouro também sumiram. 

Além do Livro de Mórmon, são tidos como livros de revelação e doutrinários A Pérola de Grande Valor, que tem por conteúdo os livros de Moisés, Abraão, ambos livros revelados e traduzidos por Smith, além de trechos por ele traduzidos de Mateus. Nele também encontramos a história condensada de Joseph Smith e as 13 regras de fé. Doutrinas e Convênios, composto por 138 seções que contém as doutrinas essenciais do mormonismo, todas elas frutos de revelação direta. Neste livro estão as polêmicas doutrinas mórmons e duas declarações oficiais da igreja sobre manchas na sua história. 

DOUTRINAS POLÊMICAS

Dentre muitas doutrinas problemáticas do mormonismo, podemos destacar as seguintes:

Lúcifer irmão de Jesus – Hoje a igreja não admite essa possibilidade, mas já foi uma doutrina ensinada abertamente.

Batismo pelos mortos – Ordenança realizada para que pessoas que já morreram possam obter a salvação, desde que alguém os represente realizando um batismo vicário.

Casamento Eterno (Selamento) – Outra ordenança realizada nos templos para que casais continuem casados após a morte, no céu.

Os 3 céus – Segundo a doutrina mórmon, o céu é estratificado, possuindo três divisões.

Pré-existência – A crença de que já existíamos antes de nascermos.

Maldição dos negros – Os negros seriam descendentes de Lamã, amaldiçoado, de acordo com O Livro de Mórmon, com o escurecimento de sua pele. Há uma declaração oficial da igreja, hoje, que afirma a igualdade racial.

Poligamia – Segundo declaração oficial, os mórmons acreditam que a monogamia é o padrão de Deus, mas que isso pode ser alterado por revelação em determinado período. Joseph Smith possuiu mais de uma mulher. [2]

TEMPLOS

Os mórmons tem 150 templos espalhados pelo mundo. São tidos como os lugares mais sagrados da terra. Realiza-se a investidura, o selamento e as ordenanças pelos mortos. Diferem das capelas, que são os locais de reunião.

CONCLUSÃO

De acordo com este relato resumido do mormonismo, percebemos que se trata de uma seita herética, que desvaloriza a Escritura e acrescenta revelações que tem o mesmo peso do cânon. Como Paulo bem disse em Gálatas 1.8, devemos considerar maldita toda e qualquer revelação que pregue um evangelho diferente daquele que está resumido na doutrina apostólica. Na melhor das hipóteses, o que podemos dizer é que Joseph Smith tinha problemas neurológicos. Se não for esse o cado, o que resta é má intenção.  E uma religião baseada nas experiências fantasiosas (ou no charlatanismo) de um homem, possui uma base extremamente fraca. A ortodoxia cristã precisa estar alicerçada no princípio do sola scriptura.


[1] Todas as informações e citações diretas das fontes oficiais estão em http://www.lds.org.br/

[2] Leia as declarações oficiais sobre a questão racial e da poligamia disponíveis em https://www.lds.org/scriptures/dc-testament/od?lang=por

Nenhum comentário: