1509725595914942

22 de ago de 2015

O Cristão e o Marketing Multinível - Ou seria Pirâmide Financeira?

Por Israel Ávila Rosendo

Introdução

Antes de iniciar com meu texto, gostaria apenas de ressaltar que não desejo de modo algum, fazer aqui nenhuma sentença afirmando que cristãos que se envolvem em tal prática são apóstatas e estão se tornando inimigos da cruz. Mas ele tem o simples propósito de alertar para armadilhas que estão disponíveis em grande escala, e que assolam a vida e a integridade física, mental e até espiritual de muitos.

Definições principais

Pirâmide financeira: É tida como ilegal no Brasil e em outros países ela se sustenta pelo dinheiro de vários indivíduos que convidam uns aos outros, e que são ativadas em uma rede de relacionamento, pagando cada um, assim taxas mensais para se manter ativo. No final, sempre o que está no topo da pirâmide (no caso os sócios) se beneficia do dinheiro dos demais. O que acaba sustentando a pirâmide é a entrada de capital das pessoas por si mesmas.

Marketing Multinível: É tido como legal, e que no caso essa rede de relacionamentos se sustenta com a venda de produtos, e que o vendedor que adere recebe parcelas, bate metas, etc. Nesse caso o que sustenta é a própria venda de produtos, não sendo a simples ativação de membros com dinheiro que faça ela sobreviver.

O grande problema nisso é que muitas empresas que são pirâmides financeiras estão se apresentando como marketing multinível, o que já virou alvo do Ministério Público Federal em alguns casos. Elas se escondem debaixo da legalidade, e apresentam produtos para “maquiar” a situação, mas no fim das contas o que faz as redes de relacionamentos sobreviverem é a entrada com a ativação dos membros, sendo o produto mostrado apenas como cortina de fumaça para uma série de desmandos e golpes.

Sendo ilegal ou não, ambas se apresentam como perigosas e letais devido as ilusões que oferecem envolvendo dinheiro fácil sem muitos esforços, disseminando ganância, suposta prosperidade fácil, e até felicidade.

Em meados de agosto de 2013, várias empresas foram investigadas pelas autoridades competentes brasileiras por se beneficiarem desses esquemas, e isso gerou na imprensa uma relevância enorme diante de inúmeros escândalos envolvendo até pessoas famosas no meio de tais atos, algumas delas até tendo que se retratar na internet em vídeo.

Caráter “Evangelístico” das “Pirâmides, Correntes, Marketing Multinível, de relacionamento e afins”

Muitos dos irmãos que leem este texto devem conhecer pelo menos um pouco da natureza de tais segmentos citados. Embora exista uma leve diferença entre as denominações de negócio que eu citei, o propósito se apresenta muito semelhante: Agregar mais indivíduos e produzir supostos lucros e mais lucros. Ao me deparar com isso, enxergo bisonhamente uma analogia entre esses segmentos da indústria do marketing de rede como uma espécie de “evangelismo” contendo:

Os “Apóstolos” que seriam os sócios, chefes mais influentes dessas redes, e que nas reuniões de divulgação divulgam fotos em cruzeiros marítimos, cidades europeias, carros importados de última geração, helicópteros e etc; os quais pregam a “mensagem” de inclusão e de “conversão” para os ouvintes.

Seus “púlpitos” são as reuniões de abertura (espécies) que acontecem em algum auditório grande na cidade e os quais eles exibem as demais fotos, supostas vantagens e contagiam os ouvintes com empolgação acima do normal, e que elas lancem fora o “velho homem” que teria sido um fracasso nos negócios, ganhando “pouco” ou simplesmente não sendo “milionários”.

Seus “obreiros/evangelistas” são as vítimas/convencidas de tais benefícios e que de dia e noite “proclamam/convocam” as pessoas para as reuniões de abertura, ou elas mesmas na maioria dos casos anunciam as supostas vantagens com seus planos variados.

Testemunho: E não poderiam faltar as “experiências maravilhosas” que cada um teve, e que sua vida era amarga, frustrante, infeliz e após conhecer a rede de relacionamento eram dali em diante novas criaturas”, ou sendo mais direto: felizes, satisfeitas financeiramente e socialmente.

Apelo: Não poderia faltar à chamada para os que estão lá visitando, e se recusar o convite, ligações não vão faltar.

De modo algum quero me utilizar de sarcasmo quanto à essa questão, mas de verdade é o que parece quando nos deparamos em determinadas reuniões.

Um pouco de observação pessoal

a) Diversas vezes fui desafiado e encorajado a aderir tais sistemas como esses. O que vi muito em encontros abertos que tinham vista os oferecimentos foi a disseminação clara de apego ao dinheiro como base para todas as coisas (1 Tm 6:10). Como frases de que “você nasceu para ser milionário”, até livros blasfemando o nome de Deus, afirmando que “ELE quer que você seja Milionário”.

b) Fui, por muitos, desestimulado como um estudante de faculdade, pois o curso que eu fazia, no caso, Direito, não me daria satisfação, e não me tornaria alguém satisfeito na vida e que eu iria fraquejar (1 Co 10:31).

c) Em várias oportunidades, via as pessoas publicarem em suas redes sociais jargões populares terrívei,s exaltando o amor à inveja para com os outros, que “os outros iriam te ver lá em cima e iriam te exaltar” (Leia Pv 14:30, 27:4, Ec 4:4, Gl 5:26).

d) Via pessoas que tinham emprego estável, com uma vida centrada na família, com boas condições, jogando tudo fora para aderirem a tais redes como essas e no final das contas colocaram muito dinheiro a perder. Outras estavam bem encaminhadas na faculdade, fazendo um curso firme e proveitoso de uma hora para outra relaxaram e entraram nesses movimentos, perdendo tempos preciosos.

e) E o mais grave: Pessoas esfriando na Fé, e rejeitando as coisas de DEUS, e da Sua Igreja para se tornarem servos, para não dizer escravas (Lc 16:13) dessas práticas manipuladoras.

Considerações finais

1. Amados irmãos, todos nós sabemos que Cristo é Suficiente em nossa vida, e que o seu propósito é nos apresentar imaculados diante do Pai (Jd 1:23-24), e que nos guardará até o fim (Jo 10:28). Nele se encontra nossa Esperança (Cl 1:27).

2. Sabemos que a riqueza muitas vezes é benção de Deus (Jó 42:12-17), e que ele a utiliza para os seus propósitos, mas que jamais coloquemos ela como fonte de supremacia (1 Tm 6:17-18). Busquemos a recompensa em nossos empregos, pois “digno é o trabalhador de seu salário (Lc 10:7) e que possamos trabalhar, estudar para a Glória de Deus. (Pv 12:14, Ef 6:5-9).

3. Você, irmão em Cristo, que ainda está sendo convocado para essas redes, ou está inserido, se desvincule o mais rápido possível, e não perdendo tempo com tais futilidades use todo o seu intelecto e seu potencial para produzir de maneira saudável o que possa lhe trazer mais perto de Cristo e não para distante.

Um comentário:

Adriano Kucinskas disse...

Bom Dia!

Eu concordo com tudo que o irmao disse. Nao sou adepto mais a uma empresa de marketing multinivel, porem ja trabalhei com isso e li e estudei muito a respeito.
So queria ponderar que como voce mesmo disse, eh uma atividade licita. O cuidado ai eh com o equilibrio, pois a mesma agua que mata a sede, afoga.
Claro que existe sim um apelo pro dinheiro a qualquer custo, mas onde nao ha? Voce trabalha mais, faz dezenas de horas extra, estuda, presta concursos, se profissionaliza, pra quê? Acaso nao eh pra ser reconhecido profissionalmente e poder dar uma vida melhor a sua familia, poder ajudar as pessoas. Acredito que chega uma hora sim que o dinheiro nao eh mais importante, como ele é para a maioria de nós, e o homem tem o anseio no seu coracao de ajudar ao proximo. Olhemos para exemplos como Bill Gates e Warren Buffet, quanto estes homens nao doaram a filantropia? Bilhoes.
O que quero dizer eh que o crente tem que tomar o cuidado de nao fazer do dinheiro e necessidades fisicas e emocionais seu deus.Tem de tomar cuidado com os porquês: de estar trabalhando tanto, estudando freneticamente pra um concurso, fazendo tantas graduacoes.
Deus ve o coracao. E existem sim crentes genuinos bem sucedidos na lideranca de empresas de marketing multinivel e pregando a verdade: que é um modelo de negocios legitimo, meritocratico, trabalhoso, funcional, satisfatorio, que realmente muda vidas de quem esta disposto a trabalhar de verdade. Mas que tambem vomita e faz milhares de pessoas perderem tempo e dinheiro, principalmente quando estas nao estao dispostas a pagar o preco e trabalhar de verdade, aprender a profissao. Assim como milhares de pessoas perdem tempo e dinheiro com cursos de linguas nao terminados, cursos tecnicos e superiores que desistem, empregos que fracassam, negocios que nao perseveram.

"Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade." Pv 4:27

O melhor termometro do equilibrio é ter Deus no seu primeiro lugar. Nunca se esqueça da coisa principal, a coisa principal.