1509725595914942

24 de fev de 2015

A serpente no poste e a cruz de Cristo

Por Nick Batzig

Quando Jesus explicou a natureza de sua morte expiatória na cruz para os israelitas de seus dias, Ele apelou para o que é, indiscutivelmente, um dos símbolos redentivos mais fascinantes da história da peregrinação de Israel pelo deserto: a serpente de bronze no poste (Números 21.4-9; João 3.14).

A serpente de bronze é o tipo mais claro da obra salvífica de Jesus no Calvário. De todos os tipos e sombras, não houve outro que tenha predito melhor a grande obra do Salvador do que esse. Jesus podia ter apontado para a páscoa ou para qualquer tipo de sacrifício que demonstrasse sua futura morte expiatória. Mas ele escolheu apontar para esse tipo em sua discussão com Nicodemos.

Aqui há 14 pontos retirados do livro “The Mystical Brazen Serpent with the Magnetical Virtue Therefore, or Christ Exalted Upon the Cross”, escrito por John Brinselym; do sermão “Moses and the Bronze Serpent”, feito por Tim Keller e do livro “Brief Exposition of the Epistles to the Seven Churches in Asia”, de Robert Murray M’Cheyne. Todos eles nos ensinam como Números 21.4-9 serve para nos aprofundarmos no entendimento do Evangelho:

1. A serpente de bronze foi o meio de salvação usado por Deus para os Israelitas que foram mordidos pelas serpentes no deserto. Jesus crucificado é o meio de salvação de Deus para todos aqueles que foram infectados mortalmente pelo veneno do pecado no deserto desse mundo caído.

2. A serpente de bronze era a única forma de salvação para os Israelitas. Jesus crucificado é o único meio de salvação para o judeu e para o gentio (considere a leitura histórico-redentiva de João 3.16 à luz de João 3.15. No Antigo Testamento, os israelitas eram amados por Deus, por isso receberam uma forma tipológica de cura; no Novo Testamento nos é dito que “Deus ama o mundo”, o que inclui judeus e gentios, de tal forma que ele deu Seu Filho para a redenção do Seu povo, que inclui pessoas de toda língua, tribo, nação e linguagem).

3. A serpente de bronze era uma representação visual da ira de Deus contra o povo murmurador. Cristo crucificado é uma representação visual da ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça humana.

4. A serpente de bronze representava a propiciação da ira de Deus. Quem olhasse para a serpente saberia que a ira de Deus seria afastada. A cruz de Cristo demonstra a ira de Deus, assim como a afasta. A misericórdia e a verdade se encontram na cruz; justiça e paz se beijam na morte de Jesus.

5. A serpente de bronze era uma representação simbólica das serpentes venenosas que morderam o povo e trouxeram consequências mortais por conta do pecado. Cristo representa aqueles que foram arruinados pelo pecado, tomando para si um corpo em semelhança da carne pecaminosa – embora sem pecado – para que Ele pudesse, por meio de sua morte, salvar aqueles que foram envenenados pelos seus próprios pecados até a morte. Ele se fez maldição para que nós recebêssemos as bênçãos de Deus.

6. A serpente de bronze servia para lembrar os Israelitas da causa de seus pecados. Ela tinha por finalidade levar à memória deles para o Jardim do Éden, onde Satanás veio em forma de serpente para tentar seus primeiros pais. A punição para o pecado, trazido ao mundo por meio da tentação daquela antiga Serpente, foi colocada sobre Jesus na cruz. A penalidade do nosso pecado recaiu sobre Ele. Ele se tornou pecado por nós, para que, Nele, nos tornássemos justiça de Deus.

7. A respeito da serpente no deserto, a cura dependia da palavra de Deus a respeito de seu meio de salvação. Com Cristo crucificado, a salvação é dependente da palavra de Deus a respeito de seu meio de Salvação.

8. Assim como os israelitas envenenados foram chamados a crer no comando de Deus – e a serpente de bronze foi o objeto desse comando -, nós vemos que tanto o meio quanto o instrumento da salvação de Deus são tipificados. No relato da interação de Jesus com Nicodemos, tanto o meio quanto o instrumento de Deus para a salvação são apontados. O Salvador crucificado é o meio da salvação de Deus. A fé (ou “olhar para Ele”) é o instrumento da salvação.

9. Os israelitas infectado foram chamados externamente a olharem para a serpente de bronze para serem curados. Os pecadores são chamados externamente a olharem para o Filho de Deus crucificado para serem salvos.

10. A serpente foi levantada na frente dos Israelitas, no meio do campo, para que todos aqueles que fossem mordidos olhassem para ela e fossem curados. Cristo foi levantado – primeiro na cruz, depois em sua ressurreição, então em sua ascensão e, por fim, na pregação do Evangelho – para que os pecadores olhem para Ele e sejam salvos.

11. A serpente de bronze era o central e totalmente suficiente meio de cura dos Israelitas. A cruz é o central e totalmente suficiente meio da obra salvífica de Cristo para curar todo aquele que nele crer.

12. Assim como Deus escolheu um homem, Moisés, para levantar a serpente de bronze no poste para que as pessoas olhassem e fossem curadas, Deus escolheu ministros para proclamarem Jesus por meio da pregação de Cristo crucificado, para que todo homem possa contemplá-lo e ser salvo.

13. Assim como olhar para a serpente de bronze era um meio tolo de cura para os israelitas envenenados, olhar para o Salvador crucificado (um homem executado publicamente) é um meio tolo, aos olhos do mundo, para a salvação de pecadores condenados à morte.

14. A serpente de bronze foi levantada em favor de muitos, para a salvação da ira de Deus e das consequências mortais do pecado. Cristo foi levantado em favor de muitos, para a salvação da humanidade da ira de Deus e das consequências mortais do pecado. Somente aqueles que olham, em fé, para Cristo, são redimidos da mordida mortal do pecado.
________
Fonte: Reforma21

Nenhum comentário: