1509725595914942

5 de fev de 2015

O Covil de Ladrões dos Tempos Bíblicos e suas Filiais nos Tempos Modernos

Por Thomas Magnum

Disse-lhes: Está escrito: A minha casa será casa de oração; mas vocês fizeram dela um covil de ladrões. Lucas 19.46

Essa passagem das Escrituras nos mostra claramente a abominação que tinha se tornado o culto judaico. Ao lermos o livro do profeta Malaquias aproximadamente quatrocentos anos antes desse evento já identificamos a podridão que tinha se tornado o culto de Israel, tinha se tornado uma mera prática ritualística e vazia. Animais coxos, mancos, doentes, oferta maculada. Agora temos uma continuidade daquelas abominações que perduravam por séculos, não era só uma questão de roubo nos dízimos como o caso de Malaquias, mas, a prática de comércio na casa de Deus.

A ridicularizarão promovida pelo neopentecostalismo nas figuras de Macedo, Soares e companhia, os seguidores desses propagadores do falso evangelho, mensagem essa que provém de fontes da confissão positiva, budismo, hinduísmo e forte influência das religiões africanas, animismo e materialismo e o antigo gnosticismo. Temos uma mistura entre filosofias materialistas e práticas religiosas pagãs. E qual é o grande interesse disso tudo? Porque eles pregam tanto sobre prosperidade, cura e exorcismos? Essa é a grande sacada descoberta pelos ideólogos da prosperidade. Quais são as maiores necessidades e temores dos povos latinos? Dinheiro, saúde e paz.

A pregação e denuncia do Senhor ainda ecoam aos nossos ouvidos: ladrões, ladrões, ladrões. Não me refiro às contribuições financeiras apenas, mas também, ao roubo da verdade, da justiça, do temor, do evangelho. Tais homens darão conta de seus ensinos e atos corruptos e imorais. A bíblia nos diz:

Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda. 

2 Pedro 2:3

Mas eles difamam o que desconhecem e são como criaturas irracionais, guiadas pelo instinto, nascidas para serem capturadas e destruídas; serão corrompidos pela sua própria corrupção! Eles receberão retribuição pela injustiça que causaram. Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando se em seus prazeres, quando participam das festas de vocês. 

2 Pedro 2:12-13

O falso evangelho propagado pela turba é palha, madeira, feno que não resistirá ao juízo de fogo no dia do julgamento. O culto a Deus não é um show da fé, não é uma ostentação de grandes construções, não é uma barganha do toma lá da cá. O culto a Deus é estabelecido por Ele e para Ele. Como nos diz a Escritura:

Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. 

Mateus 15:8

O culto a Deus não é uma mera troca de favores, Deus não está desesperado por nossos favores, ao contrário nós é que dependemos dele. O fato é que muitos que estão a afiliar-se a grupos como esses estão em busca do pragmático, do que funciona, do sucesso. A vida com Deus não é uma carreira profissional bem sucedida, é uma vida espiritual bem sucedida. Os valores estão sendo invertidos e ainda ouvimos:

"A minha casa será casa de oração; mas vocês fizeram dela um covil de ladrões".