1509725595914942

22 de abr de 2015

Aos cristãos "atores"

Por Thiago Azevedo

A sociologia já nos dá um bom panorama do que é atuar numa sociedade por meio dos papéis sociais. Mas, este texto não visa destacar as teses sociológicas, e sim destacar uma ocorrência contemporânea que há no seio da igreja moderna, a saber: a atuação teatral de alguns cristãos. Sabemos que o tão famoso símbolo do teatro é representado por duas máscaras (comédia e drama) e para haver êxito no ambiente teatral se faz mais que necessário à utilização de máscaras. Nem sempre estas máscaras são no sentido literal – o que não isenta sua ocorrência em palco – mas sim no sentido figurado da representação, da incorporação de uma personagem. 

Na antiga Hélade (Grécia) havia uma cidade chamada Éfeso (posteriormente sofrera influência da dupla cultura, greco-romana) que possuía o um dos maiores teatros ao ar livre da época e do mundo com capacidade para mais de 20.000 pessoas; teatro este que é mencionado nas escrituras em Atos 19:29. As pessoas que atuavam em cena neste teatro eram chamados de hipócritas (i.é. atores) e em cena faziam hipocrisias, atuavam. Todo o problema é que muitos dos hipócritas (atores) continuavam vivendo suas respectivas vidas como se estivessem atuando. É dai que esta expressão ganha notoriedade no Ocidente e passa a ser utilizada àquelas pessoas que não se portam de forma verdadeira. Como já se viu a utilização da máscara era um recurso dos hipócritas (atores), mas na maioria das vezes, as máscaras eram utilizadas durante a encenação, após se retirava. Porém, com o passar do tempo, as máscaras também foram permanecendo nos rostos mesmo quando não se estava em cena, isso mostrava que a pessoa não era um hipócrita (ator) apenas no palco, mas também na vida.

Uma ramificação do cristianismo atual muito parece com um grande teatro, superando até o de Éfeso em tamanho, pois se trata de ocorrer também a céu aberto. Uma característica negativa que destaca esta ramificação do cristianismo atual é que eles atuam sem máscaras, e isso dificulta a identificação dos verdadeiros hipócritas (atores), uma vez que antigamente a maioria dos atores usavam máscaras. Como identificar os hipócritas contemporâneos que na maioria das vezes não utilizam suas máscaras para encenar? É mais difícil, mas mesmo assim é possível identifica-los. A averiguação do caráter não deixa dúvida, quem é hipócrita e vive atuando possui falhas graves em seu respectivo caráter. Geralmente, falhas que não condizem com as escrituras sagradas: i) possuem uma necessidade vital de competição e de estar sempre em evidência como se estivesse sempre em cima do palco, ii) possuem um desejo enfreado de sempre se dar bem (é visionário), iii) o desejo de se auto propagar, auto destacar, auto elogiar etc. Quanto a estas características a Bíblia nos auxilia;

Provérbios 27:1-2 - “Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Que um outro te louve, e não a tua própria boca; o estranho, e não os teus lábios”.

Detectar o “cristão” ator (Hipócrita) é mais difícil, pois ele não usa máscaras plásticas, mas seu caráter possui uma máscara perene, que com muita atenção, é possível percebê-la. O próprio Cristo ao ensinar seus discípulos a orarem já recomendava o cuidado em não ser hipócrita (atores);

Mateus 6:5-6 - “E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente”.

A recomendação de Jesus aqui é muito clara, não sejam atores, não sejam hipócritas, não façam nada para aparecerem, procurem um local resguardado etc., mas é justamente o oposto que se vê na atualidade. Pois, cada vez mais, as pessoas creem que a espiritualidade é algo que deve ser divulgada como um produto na feira. Cada vez mais os cristãos hipócritas (atores) se medem pelo destaque em público, deva ser pela necessidade do aplauso que estes possuem, pois esta é outra característica para identificar um cristão hipócrita (ator); a necessidade do aplauso, da plateia aplaudindo de pé para que seu ego inche. Alguns hinos seguem esta ânsia teatral do ser o centro do espetáculo, de ser hipócrita, de ser ator. Vejamos um exemplo: “Quem te viu passar na prova e não te ajudou quando ver [cic] você na bênção vão se arrepender, vão estar entra a PLATÉIA e você no PALCO”[...] Aqui se tem uma prova cabal deste ramo maléfico do cristianismo atual que sente a necessidade de ser colocado em destaque, que sente a necessidade de ser aplaudido e que sente a necessidade de competição; proposta muito diferente do que se ensina na Bíblia. Mas o próprio Cristo nos dá um bom conselho em relação a tudo isso. Aos “cristãos” que fazem parte deste ramo e aos cristãos verdadeiros que não comungam de tal comportamento fica a dica:

Mateus 7:16-23 - “Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”.

As duas frases em destaque mostram, em primeiro lugar, que somente Deus poderá arrancar de uma vez por todas as máscaras dos caráteres hipócritas que permeia o evangelho tupiniquim. Neste dia as máscaras vão cair e não poderão mais ser mais usadas; pois não haverá mais encenação. Em segundo lugar se percebe que há uma distinção muito grande entre os cristãos hipócritas que estão sempre atuando e os cristãos verdadeiros que estão sempre fazendo a vontade do Pai (Deus), esta distinção precisa ser mais notada por quem vive no ambiente cristão contemporâneo, pois é ela quem vai crivar quem é e quem não é um cristão hipócrita (ator). Por fim, uma ultima pergunta: Em qual grupo de cristão você se encontra?

________________
Referências

BRUCE. F. F; Comentário Bíblico NVI: Antigo e novo testamento; Tradução: Valdemar Kroker. São Paulo: Vida, 2009, 2271 p.

BRUCE. F. F; Paulo: o apóstolo da graça, sua vida, cartas e teologia; Tradução Hans Udo Fuchs, São Paulo, Shedd  Publicações, 2003, 464 p.

Bíblia de estudo NVI; São Paulo: Vida, 2003, 2450 p.

HALLEY, Henry, Hampton; Manual Bíblico de Halley: (N.V.I), Tradução Gordon Chown, São Paulo, Vida, 2001, 895 p.

Manual Bíblico SBB; Tradução de Lailah de Noronha. Barueri; São Paulo; 2º Ed. Revisada, 2010, 816p.

GERALD F. Hawthorne, RALPH P. Martin; Dicionário de Paulo e suas cartas; tradução Bárbara T. Lambert, São Paulo, 2º Edição; Paulus – Vida Nova – Loyola, 2008, 1308 p.

Disponível em <http://www.significados.com.br/hipocrisia/> Acessado em 17.04.2015

Nenhum comentário: