1509725595914942

28 de set de 2014

Trave e Argueiro

Por Wallace Jaguaribe

"E como podes dizer a teu irmão: Permite-me remover o cisco do teu olho, quando há uma viga no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás ver com clareza para tirar o cisco do olho de teu irmão."
Mateus 7:4-5

Nossos olhos são um dos principais sentidos para percebermos o mundo visível. Com eles percebemos as maravilhas da criação, mas, infelizmente, nossa visão também foi afetada pelo pecado e vemos como que pelo espelho. Perdemos a capacidade de enxergar o mundo pela ótica perfeita do Criador. Facilmente ampliamos o foco nos outros e temos muita dificuldade de nos percebermos como somos na realidade. Herdamos uma capacidade incompreensível de, mesmo com uma trave no olho, percebermos o argueiro no olho do outro.

Foi assim com Caim, o primogênito de Adão, que não entendia por que Deus aceitou apenas a oferta de seu irmão, Abel, e não a sua. Achava que o problema estava em Abel, então, planejou e executou o assassinato de seu próprio irmão. Não conseguia enxergar que o problema estava nele mesmo. Pois, Deus rejeitou Caim e sua oferta. O problema estava, portanto, no ofertante. Mas, seus olhos estavam cegos para esta realidade, uma vez que só conseguia ver falhas no seu irmão.

O profeta Jeremias, inspirado por Deus, deixou claro este grave problema da humanidade. Afirmou que cada pessoa deve queixar-se de seus próprios pecados. Esta revelação deveria nos levar a uma constante auto-avaliação, mas, ao contrário disto, continuamos procurando a causa de nossos problemas nos outros.

O apóstolo Paulo chama nossa atenção para o fato de que, cada um dará contas de si mesmo a Deus (Rm 14.12). É mais um convite ao auto-exame. No entanto, continuamos especialistas em avaliar os outros.

Jesus nos manda tirar primeiro a trave do nosso olho para, depois disto, retirarmos o argueiro do olho do nosso irmão. Não é proibido avaliar o outro para ajudá-lo a melhorar, mas, antes desta avaliação, precisamos nos avaliar.

Devido a esta dificuldade, muitos lêem a Palavra de Deus em busca de palavras que sirvam para massagear seu ego, em busca de promessas, ou para usá-la como arpão contra seu próximo. Mas, o modo correto e edificante de ler as Santas Escrituras é, em primeiro lugar, para cada um examinar-se a si mesmo (1Co 11.27).

O que este texto bíblico fala para mim? O que eu preciso corrigir em minha vida? Estou agindo como a Bíblia ordena em tal e tal situação? Estou reagindo do modo correto conforme a Bíblia ensina? Após este auto-exame, poderei ficar surpreso ao descobrir que muitos dos meus problemas são causados por mim mesmo e não pelo meu irmão.


Graça e Paz.