1509725595914942

14 de out de 2014

A natureza da liberdade cristã

Samuel Bolton

João 8.36 “ Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”
Existem quatro tipos de liberdade: Natural, política, sensual e espiritual.

Liberdade natural é aquela pela qual toda a natureza se beneficia, mas essa não é a liberdade pretendida nesse texto.

Liberdade política pertence à uma nação, um estado, uma comunidade ou uma corporação, e é essa liberdade que os judeus pensaram quando Cristo disse essas palavras. Ele eram sementes de Abraão e, portanto livres. Mas Cristo não estava falando dessa liberdade.

Existe uma liberdade corrupta e pecaminosa que é expressada pelo nome de libertinagem. A isso, o apóstolo se refere em Gálatas 5.13: “ Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.”

Terrível coisa é quando um homem transforma a Graça de Deus em Libertinagem. Judas 4: “Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.”

Também Pedro nos diz em 1° Pedro 2.16 “como livres que sois, não usando, todavia, a liberdade por pretexto da malícia, mas vivendo como servos de Deus.”

Mas [obviamente] não é dessa liberdade que Cristo está falando. Essa é nossa escravidão e não nossa liberdade!

É uma liberdade espiritual e celestial de que nosso texto diz, uma liberdade comprada por Cristo, revelada no evangelho, transmitida aos santos de Deus como um grande “dote” de Cristo à Sua igreja e noiva.

Duas grande coisas Cristo confiou às mãos de Sua igreja – A fé cristã e a liberdade cristã.

Assim como temos que batalhar para manter a fé cristã (Jd 3), assim também temos que lutar para mantermos a liberdade cristã, e miná-la contra todos os que se opõem a ela.

Gálatas 5.1 “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”

E o mesmo apóstolo diz em 2 Coríntios 7.23 “Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens”.

Em geral, eu digo, que a liberdade que Cristo trás aos crentes é espiritual, uma liberdade Divina, uma liberdade que contrasta com a antiga escravidão.
Fonte: herancapuritana.wordpress.com