1509725595914942

30 de out de 2014

Graça Irresistível

Por Luciana Barbosa

Você algum dia deve ter pensado e se perguntado: Nem todos os que ouvem o convite do evangelho, aceitam e chegam à salvação, Por que? A princípio destacaremos duas correntes de pensamento que respondem a esse questionamento.

Uma corrente vai dizer: O Espírito chama internamente todos aqueles que são externamente chamados pelo convite do Evangelho. Ele faz tudo que pode para trazer cada pecador à salvação. Sendo o homem livre, pode resistir de modo efetivo a essa chamada do Espírito. O Espírito não pode regenerar o pecador antes que ele creia. A fé (que é a contribuição do homem para a salvação) precede e torna possível o novo nascimento. Desta forma, o livre arbítrio limita o Espírito na aplicação da obra salvadora de Cristo. O Espírito Santo só pode atrair a Cristo aqueles que O permitem atuar neles. Até que o pecador responda, o Espírito não pode dar a vida. A graça de Deus, portanto, não é invencível; ela pode ser, e de fato é, frequentemente, resistida e impedida pelo homem (Arminianismo ou semipelagianismo).

A outra corrente vai dizer: Além da chamada externa à salvação, que é feita de modo geral a todos que ouvem o evangelho, o Espírito Santo estende aos eleitos uma chamada especial interna, a qual inevitavelmente os traz à salvação. A chamada externa (que é feita indistintamente a todos) pode ser, e, comumente é, rejeitada; ao passo que a chamada interna (que é feita somente aos eleitos) não pode ser rejeitada. Ela sempre resulta na conversão. Por meio desta chamada especial o Espírito atrai irresistivelmente pecadores a Cristo. Ele não é limitado em Sua obra de aplicação da salvação pela vontade do homem, nem depende, para o Seu sucesso, da cooperação humana. O Espírito graciosamente leva o pecador eleito a cooperar, a crer, a arrepender-se, a vir livre e voluntariamente a Cristo. A graça de Deus, portanto, é invencível. Nunca deixa de resultar na salvação daqueles a quem ela é estendida, ou seja, graça irresistível (Calvinismo).

Vejamos algumas razões porque devemos concordar com a graça irresistível:

Antes de tudo é importante saber o que se entende por “graça irresistível”. Existem pessoas – equivocadas - que acreditam que essa “graça irresistível” é como se Deus não desse outra escolha e o obrigasse, mesmo contra sua vontade, ao arrependimento. Entretanto, na verdade, graça irresistível não significa isso. Graça Irresistível significa que Deus, através da Sua graça, retira as escamas dos nossos olhos, retira os tampões dos nossos ouvidos, e assim conseguindo ver a maravilhosa, excelente, excelsa, magnífica graça e amor de Deus e podemos ouvir o maravilhoso evangelho do Seu filho, a saber, Jesus Cristo, e desse modo, não temos outra escolha a não ser abraçar esse Deus que é maravilhoso e agora viver para sempre glorificando. Isso é o que significa graça irresistível.

Imagine comigo um cego e um morto. Ambos num encontro com Jesus. O cego sendo curado passa a ver. Ele não fez nada, não mereceu e não comprou a cura. Simplesmente Jesus venceu sua doença e incapacidade física. Ele não teve como resistir a cura. Tudo agora que ele podia fazer era ver e se alegrar nisso. Agora ele poderia ver a verdade e contemplar Jesus. Duvido que ele pedisse para ser cego novamente. Agora vamos ao morto. Esse mais semelhante a nós. Ele não faz absolutamente nada para viver. Não percebe Jesus chegando. Nada. E de repente está de pé, respirando e com sangue correndo nas veias. Nova vida, nova chance. Sem merecer, pedir e muito menos querer. Jesus simplesmente venceu a morte e o trouxe a vida. Graça! Não o imagino triste ou pedindo para ser um morto de volta.

Para Deus e sobre nossa salvação graça não é somente aquilo que recebemos sem comprar. É aquilo que recebemos sem comprar, merecer, conseguir, roubar ou achar. Ela faz tudo! Ela me achou, me alcançou, me chamou e salvou. Graça não é um evento isolado, é uma corrente diária que flui do alto para nós. Ela continua me achando, alcançando, chamando, salvando, sustentando, consolando, alegrando, fortificando e amando. Não por mim, mas para a glória de Deus que decidiu concedê-la a mim. A graça vence todos os meus problemas e pecados porque ela me venceu primeiro.

ALGUMAS BASES BÍBLICAS DA GRAÇA IRRESISTÍVEL

A condição dos seres humanos naturais é descrita com palavras devastadoras em Efésios 2.1-2: “ Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência”. Nossa condição natural não é somente enfermidade espiritual- uma doença que pode ser curada com algum esforço nosso. Não, nossa condição é de morte espiritual. E como um morto pode responder favoravelmente a um chamado ou convite do evangelho?

João 1.12-13: "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus."

João 3.3-8: "Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito."

João 5.21,25: "Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos, e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer [...] Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão."

João 6.37,44,45: "Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora [...] Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim."

Romanos 9.18-24: "Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer. Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?1 Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição; para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou, os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?"

I Coríntios 4.7: "Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?"

II Coríntios 3.5-6: "Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, o qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica."

Permita-me uma ilustração. Suponhamos que você esteja se afogando e seus amigos estejam na praia a uma distância em que você possa ser ouvido. Você não sabe nadar. Desejando respeitar sua integridade pessoal, e querendo capacitá-lo a ajudar-se o máximo possível, um de seus amigos na praia, um excelente nadador, grita dizendo que você nade imediatamente para a praia. O conselho, mesmo que dado com boa intenção, é mais que inútil, uma vez que você não sabe nadar. O que você precisa desesperadamente é que seu amigo se lance às águas e leve-o a praia com poderosas braçadas, para que sua vida seja salva. O que você precisa nesse instante não é só de um conselho, um bom conselho, você precisa ser resgatado!

Essa é nossa condição natural; somos pecadores perdidos, mortos no pecado e não podemos reviver a nós mesmos. Nossos ouvidos estão surdos ao convite do evangelho, nossos olhos estão cegos à sua luz, precisamos de um milagre que só o Espirito Santo tem o poder para nos conceder tão maravilhosa graça.

Diante de tudo isso que foi dito, o que pensarmos então sobre o APELO após as pregações:

A prática do Apelo afronta a incapacidade do homem de ir a Deus

A doutrina da depravação total é inequívoca. Efésios 2.1 nos ensina que o homem está “morto em seus delitos e pecados”. Isto é, um homem morto espiritualmente não possui a capacidade de ir a Deus ou até manifestar desejo por Deus, a não ser que este o queira e o convença mediante o Espírito Santo do pecado do juízo e da justiça. Além disso, as Escrituras também ensinam que “Ninguém pode ir a Cristo se o Pai, não o enviar.” Em outras palavras isso significa que nenhum homem pode ou tem poder para ir até Cristo por vontade própria.

A prática do apelo geralmente é feita num clima sensacionalista, manipulativo e extremamente emocional

É comum ao final dos sermões encontrarmos os pregadores num clima extremamente emotivo convidando os ouvintes a decidirem por Cristo. Em momentos como esses, o que importa é sensibilizar o pecador levando-o a decidir por Cristo.

Caro leitor, uma decisão movida por emoções não aponta de forma efetiva para uma conversão a Cristo. Na verdade, a maioria daqueles que responderam um apelo para aceitar Jesus, não permaneceram na Igreja, na verdade, acredita-se que 90% daqueles que com lágrimas disseram sim a Cristo, não continuaram a trilhar a estrada da fé.

O apelo contradiz o que a Bíblia dá como a ordem na salvação

João 3.3 nos ensina que se o homem não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Regeneração antecipa conversão. É o novo nascimento que habilita o homem a confiar e crer em Cristo, portanto, querer que o homem decida por Cristo antes de ser convencido pelo Espírito Santo dos seus pecados, bem como regenerado pelo Senhor afronta as verdades bíblicas.

Sola Gratia, Soli deo gloria!
___________
Referências:

Piper, John; Graça Irresistível.
Hoekema, Anthony; Salvos Pela Graça 3°edição.
Vargens, Renato; 3 Motivos Básicos Porque Não faço Apelo para Salvação.