1509725595914942

27 de out de 2014

Os Cânones de Dort

Por Thomas Magnum

Muitos crentes têm pavor do termo calvinismo. Muitos nunca sequer leram nada, mas, sabem que não são calvinistas. É interessante como a igreja no decorrer da história abandonou suas raízes doutrinárias e abraçou uma série de pensamentos que estão distantes dos ensinos das Escrituras Sagradas. Nossa história começa no século XVI com os documentos produzidos por consequência da Reforma Protestante essas confissões iniciadas pelo catecismo de Heidelberg até chegarmos ao século XVII.

Os cânones de Dort são de especial importância a igreja reformada no século XVII, mais precisamente em 1619. Em 1588 Jacó Armínio que tinha estudado com Teodoro Beza, começou a questionar e discordar da doutrina da predestinação ensinada pelo calvinismo. Em 1602 se tornou professor em Leyden, onde encontrou um oponente chamado Francisco Gomaro.

A polêmica prolongou-se até 1609 quando Armínio morreu de tuberculose. No ano que seguiu sua morte seus seguidores escreveram um documento chamado Remonstrância. Vejamos o que diz Duane Edward Spencer:

Pelo fato de as igrejas dos Países Baixos, em comum com as principais Igrejas Protestantes da Europa, subscreverem as Doutrinas Reformadas da Bélgica e as Confissões de Heidelberg, os arminianos resolveram fazer uma representação ao Parlamento Holandês. Este protesto contra a Fé Reformada, cuidadosamente escrito, foi submetido ao Estado da Holanda, e, em 1618, um Sínodo Nacional da Igreja reuniu- se em Dort para examinar os ensinos de Arminius à luz das Escrituras. Depois de 154 calorosas sessões, que consumiram sete meses, Os Cinco Pontos do Arminianismo foram considerados contrários ao ensino das Escrituras e declarados heréticos. Ao mesmo tempo, os teólogos reafirmaram a posição sustentada pelos Reformadores Protestantes como consistente com as Escrituras, e formularam aquilo que é hoje conhecido como Os Cinco Pontos do Calvinismo (em honra do grande teólogo francês, João Calvino).[1]

Os cinco pontos do Arminianismo são:

Vontade Livre
Eleição condicional
Expiação universal
A graça pode ser impedida
O homem pode cair da graça

A resposta aos argumentos arminianos estudadas no sínodo e Dort formam o acrostico TULIP. Apresentados como os cinco pontos do Calvinismo:

Total Depravity (Depravação Total)
Unconditional Election (Eleição Incondicional)
Limited Atonement (Expiação Limitada)
Irresistible Grace (Graça Irresistível)
Perseverance of Saints (Perseverança dos Santos)

Dessa refutação aos ensinos arminianos surge os cânones de Dort . Nesse pequeno ensaio estaremos abordando biblicamente os cinco pontos do calvinismo, demonstrando a diversidade de textos bíblicos que dão suporte a teologia reformada e que o arminianismo está errado em sua teologia que diminui a glória da graça de Deus e centraliza o homem e seu “livre arbítrio”.